segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Karakuri Pierrot

Fiz com inspiração dessa música. Não vai ser igual ao video de Vocaloid, apenas o sentimento que é parecido. As imagens não são minhas.



Pronto. É assim que me vê, não é? Uma palhaça, um brinquedo. Já estou farta disso.
Quando te vi pela primeira vez, você parecia tão legal... Mas aquela garota brincou demais com seu coração, e ativou um instinto sádico em você.
Aí eu, que era caidinha por você, aceitei me esforçar para que a esquecesse.
Isso não vai ajudar, se me tratar sempre como um brinquedo.
Me fazia passar vergonha, todos passaram a se afastar de mim, e as vezes dizia pra outras garotas que eu não era sua namorada, e ficava com elas na minha frente... E eu que devia engolir esse tipo de comportamento.
Não me ama de verdade, não é? Não sei nem se tem algum apreço, algum afeto, por mim. Com certeza, eu era sua amiga, mas você não quer meu bem, não é amigo.
Essa máscara de palhaço, um dia iria quebrar, mas você esqueceu. Esqueceu que por baixo dessa máscara, eu tinha sentimentos, e que realmente me importava com as coisas boas e ruins que você fizesse.
No dia que essa máscara quebrou, você não viu, mas estavam todas as pessoas, que antes eram minhas amigas, rindo de mim. Doeu, sabia?
Voltei pra casa correndo, meus pais ainda não tinham ido trabalhar, e me consolaram. Pela minha saúde mental, eles decidiram se mudar. Que bom. Assim eu ficaria longe de você, e talvez nunca mais te visse.
Não imagina como fiquei feliz em ficar longe de ti. Ainda sinto amor por você, mas agora, isso está sob controle, e não terei problemas com isso, nem tão cedo.
Acredita que quando falei para seu amigo, pra entregar aquele bilhete para terminarmos, ele riu? De desprezo. O que você disse a seus amigos? Que era só uma palhaça, um brinquedinho, uma marionete que faria tudo que você manda?
Não acredito que gosto de você. Não, eu gosto daquele garoto doce de antes, que se importava com os outros. Onde ele está, o que aconteceu com ele? Não acredito que ele morreu, e sim que está em algum lugar dentro de seu coração, angustiado. Mas vivo.
Estou farta.
Adeus.



Foi só inspiração a causa de eu escrever. E nem está tão angustiante, antes, eu pensei em fazê-la se jogar de um prédio.
Mas uma vida não deve ser sacrificada por desilusão, não é?
Carta, e-mail, anos depois do término... Pensem o que quiser.
Só sei que as pessoas não deveriam se entregar de bandeja assim, no amor. É difícil, mas poucos sabem amar hoje em dia, todos só sabem quebrar a cara.
Os casamentos de antigamente não duravam bastante por divórcio ser algo horrível na visão deles, e sim porque não se doavam tanto. A educação rígida os fez assim. Essa é a diferença entre os adolescentes de antes e de hoje.
Havia respeito, antes e durante o casamento. Me mostrem alguém que respeite a esposa de verdade, antes de ela se tornar esposa e anos depois.
As mulheres de antigamente não tinham ataques de ciúme, mesmo sabendo da "outra". Outra diferença, causa de muitos divórcios e términos.
É isso.

2 comentários:

jason edward Finnegan disse...

apesar de nao ser profundo bem simples,
fiquei bastante comovido com seu artigo,
cheio de palavras viva e sinceras
(o tema so foi um disparo para
revela suas emocoes =D),como ve mesma diz:
A educação rígida os fez assim. Essa é a diferença
entre os adolescentes de antes e de hoje.,
nao importa de onde voce e e
"o que voce faz" mais sim "quem voce e",
a questao nao e de quanto e profunda ou
poeticamente aberta,mais sim quanto voce se
mostra como ser,muito lindo viu.....,
muito dissem que experiencia
nao leva nada(pode ser que nao),
(isso depende do objetivo de cada um)
isso nao que dizer que
voce presisa seguir mesma trilha
voce pode sentir a diferenca da
profundidade experimental e de
puro conhecimento
(e cheio de coisa a dizer!),
os inteligente parecem ser melhores,
mais nao sao,entao mais importante
que se aprimora e nao deixa de
ser voce mesma(logico que isso ajuda),
mais importante e ser voce ^^......
(fiquei emocionado viu me fez pensa nessa coisa....)

Soph-chan disse...

Obrigada por seu comentário, Jason.
Pior é que as pessoas esquecem que os outros tem sentimentos, isso foi o principal motivo que me ispirou a escrever esse texto.
O problema da sociedade é que eles não permitem que sejamos nós mesmos. É ser bonito ou ser inteligente, e ser um dos dois, ou os dois, cansa muito. Eu sofro um pouco por tentar ser eu mesma ao invés desses modelos, mas vale a pena quando pessoas como você valorizam isso. Obrigada de verdade.
Ah, e a parte dos adolescentes de hoje e de antes vem do que eu ouvia minha mãe e minha avó falando, as duas gostam muito de conversar, aí meio que tracei um perfil pelo que ouvi.
Beijos, e boa sorte na vida! ^^